nunomedia.com

All about me…

José Saramago …

June3

Excuso-me fazer uma biografia sobre José Saramago (quem nao o conhece nao tenha vergonha de vêr aqui na wikipédia).

Não minto que já tivera lido algum livro dele,( só poemas e pequenos trechos que as vezes num português mais clássico dificultaram-me…) mas só pelo facto de ser o único escritor de expressão portuguesa a ganhar um prémio nobel de literatura (em 1998)  despertou-me algum interesse e nao me enganei.

Amante dos romances de Fernando Pessoa (dos melhores romancistas portugueses), José Saramago é dos poucos escritor, roteirista, jornalista e poetas contemporanêos ainda em vida.

Nao sou nenhum leitor assiduo, confesso que não, mas excita-me bastante quando alguém com simples palavras consegue exprimir o que na verdade todos sentimos.

Não tenho um vasto leque de escritores preferidos ou livros, nao! (nao sou o que está pensando) mas a lista selecta de “sources” (Dan Brown, Fernando Pessoa, Luis Vaz Camoes, Paulo Coelho, Pepetela e muitos outros que agora esqueço-me) fazem-me com que de uma forma possa sentir-me parcialmente alimentado.

Quando estava a pensar em postar sobre ele, pensei no meu amigo Celso, (o jovem que conheço que mais aprecia poesia de verdade) e notei isso em poucos minutos… E decidi partilhar esta experiencia com todos, especialmente aos jovens que digamos estarem longe dos livros, da leitura e da poesia e preferirem em detrimento o Google(lol).

Depois de umas horas na net, deliciei-me com a estória de vida, pensamentos e convicçoes que defende.

José Saramago vive numa ilha ao lado da costa Africana pertencente à Espanha. Diz ele, que saíu de Portugal por causa da sensura em um dos seus livros…

Delicie-se com estes vídeos…Open-mouthed

Aqui fica comprovada que a democrácia a que todos lutamos é dificil pois o problema está na raiz…

Gostou? Entao veja o que deliciou-me!

 

E agora a parte 2…

 

Dizer que um dos filmes premiados à poucos dias pelo festival de Cannes (França) do director brasileiro Fernando Meirelles foi baseado numa obra de José Saramago(Ensaio Sobre a Cegueira), e parece que o director fez bonito.

 

 

Poema à boca fechada

Não direi:
Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.

Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas.

Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais bóiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.

Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.


(In OS POEMAS POSSÍVEIS, Editorial CAMINHO, Lisboa, 1981. 3ª e

 

E para nao fazer este post mais comprido, deixo alguns links com poemas e citaçoes de José Saramago.

Fontes: Sendetário,wikipedia, secrel

Technorati Tags:
posted under My views
2 Comments to

“José Saramago …”

  1. On June 4th, 2008 at 1:19 pm Dan Brown | José Saramago … Says:

    [...] (nao sou o que está pensando) mas a lista selecta de “sources” (Dan Brown, Fernando Pessoa, Luis Vaz Camoes, Paulo Coelho, Pepetela e muitos outros q… Source: José Saramago … [...]

  2. On June 4th, 2008 at 6:36 pm joelson almeida Says:

    GOSTEI BO POEMA DE JOSE SARAMAGO NUMCA TINHA OUVIDO FALAR DELE E A PRIMEIRA VES MAN ACREDITA O TEU WEBSITE VAI DAR NO QUE FALAR TENHA FE FUI MANO

    Reply

Email will not be published

Website example

Your Comment: